Chemical Temper

Area of application

Arquitetura

Construção

Aeronáutica

Aeroespacial

Eletrônica

Militar

Naval

Automóvel

Data sheet
  • download pdf

A Têmpera química do vidro obtém-se submergindo os vidros num banho de sais fundidos de potássio a temperaturas superiores aos 400ºC.
Os íons de potássio (K+), contidos no sal, substituem os íons de sódio (Na+), de diâmetro inferior, contidos na superfície do vidro, determinando as solicitações de compressão em toda a superfície e nas margens. 
As propriedades de resistência mecânica à flexão de um vidro temperado quimicamente são de cinco a dez vezes superiores respeito às de um vidro temperado termicamente, submetido à mesma força. 
Este processo produtivo especial aumenta também a resistência aos choques: um vidro temperado termicamente tem uma resistência aos choques com uma esfera de aço duas vezes superior a de um vidro normal, enquanto a resistência aos choques de um vidro temperado quimicamente chega a ser até cinco vezes superior a de um vidro normal e garante planaridade absoluta sem distorção ótica. 
Podem-se temperar quimicamente todos os vidros normais do tipo float. A cor verde sofrerá uma troca iônica inferior às outras. Não ão normalmente temperáveis os vidros com coating e os vidros com uma composição química diferente dos tipos de vidro tradicionais. 
Os parâmetros de processo de têmpera química podem variar conforme o tipo de vidro e as especificações de têmpera pedidas. 
Com a têmpera química, são temperáveis os vidros com uma espessura mínima de 0,5 mm. São temperáveis também os vidros que tem uma forma geométrica especial mantendo uma elevada qualidade ópima. 
Esta característica permite utilizar vidros temperados quimicamente nos mais diversos setores, tais como o automobilístico, a eletrônica, a arquitetura, aeronáutica, naval, militar.

For Any Questions